Antioxidante e cicatrizante: os benefícios da lavanda para a pele

Linda em arranjos, cheirosíssima em sachês e versátil nos cuidados com a pele, a lavanda faz parte do grupo de plantas queridinhas da medicina alternativa há muitos séculos.

Na pele, puro ou como princípio ativo de produtos de beleza, seu óleo é capaz de recuperar lesões e também evitar que condições se proliferem, mantendo a saúde e a beleza cutâneas. Ele só não é recomendado para as peles muito sensíveis, pois alguns de seus componentes – em especial o acetato de linalyl e o linalool – são sensibilizantes e podem causar ou piorar quadros alérgicos e irritativos.

Se sua pele não é sensível, conheça, a seguir, os principais benefícios da lavanda para ela.

Adstringente poderoso

Rico em tanino, o óleo de lavanda combina muito bem com a etapa entre a lavagem e a hidratação da pele nos cuidados da rotina diária de beleza, pois atua de forma equilibrada na gordura produzida pelas glândulas sebáceas.

Prevenção do envelhecimento precoce da pele

A função antioxidante do óleo de lavanda também vem do tanino e auxilia na prevenção do envelhecimento precoce da pele, uma vez que combate os radicais livres.

Óleo cicatrizante

Cicatrizes de acne e marcas na pele em geral são bastante atenuadas com a aplicação tópica do óleo de lavanda, por ele ser rico em vitaminas e ácidos anti-inflamatórios restauradores.

Princípio ativo que impede a proliferação de males da pele

Um estudo recente do Centro Nacional para a Saúde Complementar dos EUA observou que, quando aplicado diretamente sobre feridas, o óleo de lavanda age como um antisséptico forte que evita que as bactérias e micro-organismos se proliferem pela pele. Além disso, ele parece ter uma grande importância na regressão destas mesmas feridas.

Calmante da pele

Assim como a camomila, a lavanda acalma a pele no pós-depilatório, no pós-sol e nas áreas que sofrem muito atrito (parte interna das coxas e axilas, por exemplo). Um hidratante com óleo de lavanda em sua composição é um santo remédio para tirar a vermelhidão e a irritação muito rapidamente nessas situações.

Fontes: Sabrina Talarico (médica dermatologista da Clínica Talarico Dermatologia) e Tânia Lins (bióloga especialista em plantas medicinais)

 

M de Mulher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *